http://revistas.urca.br/index.php/SertH/issue/feed Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente 2022-07-07T14:46:23+00:00 Darlan de Oliveira Reis Junior sertao.historia@urca.br Open Journal Systems <p>Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente tem como missão contribuir para o debate teórico e a difusão das pesquisas em História e áreas afins, bem como democratizar o acesso ao conhecimento científico.</p> <p>Podem publicar graduados, estudantes de pós-graduação lato e stricto sensu (mestrado e doutorado), mestres e doutores.</p> <p>Sertão História é um períodico semestral, eletrônico, do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente - NEHSA, da Universidade Regional do Cariri. </p> <p><strong>ISSN 2764-3956</strong></p> <p>Indexadores: Latindex , Diadorim, Livre, Latin Rev. </p> http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/280 Pandemia, Fome e Meio Ambiente no Antigo Sistema Agrário Colonial: 2022-05-31T17:30:23+00:00 Francisco Carlos Teixeira da Silva chicotempo@uol.com.br <p>Em 2022 comemoramos os 100 Anos de nascimento de Maria Yedda Leite Linhares. Historiadora, militante, mulher, nordestina, do Estado Ceará, que lutou contra uma brutal Ditadura, entre 1964 e 1979 – até a Anistia – e abriu o espaço para as mulheres num campo profundamente masculinizado da História Contemporânea na antiga FnFi – Faculdade Nacional de Filosofia, futura Universidade do Brasil, hoje UFRJ. Mais tarde, em 1976, ainda enfrentando a Ditadura, no retorno do Exílio, abriu um novo campo de estudos no Brasil: a História Agrária. Este artigo – de forma muito breve e precária - pretendemos fazer uma homenagem a Maria Yedda Linhares retomando algumas de suas teses principais, na contramão do “main stream” da poderosa historiografia tradicional brasileira. Tendo como campo de estudo o Recôncavo do Bahia, Salvador e suas vilas, buscamos demonstrar que uma paisagem colonial unívoca em tono do Engenho, a plantação de açúcar e suas escravarias, com o ocultamento do pobres, da pequena produção e da produção da abastecimento interno da Colônia é uma visão equivocada da vida econômica e social do Brasil colonial.</p> 2022-10-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/301 História Ambiental e ensino de História: 2022-06-22T20:40:21+00:00 Ilsyane do Rocio Kmitta kmitta.sy@gmail.com <p>O presente texto visa apresentar breves reflexões sobre atividades desenvolvidas como prática de ensino da disciplina de História Ambiental, oferecida no curso de graduação em História da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, unidade universitária de Amambai-MS. São atividades e debates realizados que culminaram na realização de entrevistas e demais atividades, resultando na produção de fontes para pesquisas no que concerne ao meio ambiente e estudos regionais e indígenas.&nbsp;</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/125 Releitura sobre a água e a trajetória da política de convivência com as secas no semiárido brasileiro 2022-05-06T11:43:05+00:00 Teobaldo Gabriel de Souza Júnior teobaldo.ebm@hotmail.com Daisy Beserra Lucena daisyblucena@gmail.com Paulo Renato Alves Firmino praf62@gmail.com <p>A água é um insumo indispensável tanto para a manutenção da vida quanto para a viabilização da produção industrial e agrária. Diante disso, o presente artigo proporciona um resgate histórico da política de águas no Brasil, destacando, sobretudo, a sua evolução no semiárido. Para tal, realizou-se revisão bibliográfica em diversas fontes que tratam do assunto. Utilizou-se, ainda, de algumas das principais leis, marcos normativos, juntamente com dados obtidos em fontes oficiais, que orientaram as discussões aqui apresentadas. Também foi feita uma análise, no <em>software</em> IRaMuTeQ, da obra intitulada “A questão da água no Nordeste”, livro lançado pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) em parceria com a Agência Nacional de Águas (ANA) no ano de 2012. Concluiu-se que as políticas hídricas desenvolvidas na porção semiárida do Nordeste brasileiro vêm permitindo uma melhor convivência com o fenômeno das secas e, consequentemente, possibilitando um maior desenvolvimento dessa área bastante populosa do país.</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/287 O Rio Tapajós na memória do Tenente Rufino Luiz Tavares (1876) 2022-06-03T12:21:58+00:00 Francivaldo Nunes fan@ufpa.br <p>O estudo do Tenente Rufino Luiz Tavares sobre o rio Tapajós, publicado em 1875, é o principal documento de análise neste artigo. Neste aspecto, nos ocuparemos em compreender a relação entre o discurso construído em torno do modo de vida da população cabocla e indígena que ocupavam os sertões amazônicos e as estratégias apresentadas como necessárias para promover o desenvolvimento econômico da região. Buscaremos demonstrar que o estudo do Tenente Rufino Tavares está envolto em um contexto em que se busca conhecer as diferentes regiões do país com o propósito de um exercício de maior controle do governo imperial. A compreensão é que não se tratava de um Estado que se afirmava apenas pelo uso das forças militares, mas que levasse a autoridade do governo ao interior das províncias do Pará e Amazonas, através de ações revestidas de um discurso de promoção da ordem, desenvolvimento do comércio, indústria, promoção da modernidade e da civilização.</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/274 Olhares sobre os não humanos na modernidade a partir das representações de Red Dead Redemption 2 2022-06-08T11:36:47+00:00 Luca Leite luca.leite.o.018@gmail.com <p>A Natureza foi entendida e representada de várias formas ao longo da história, e por isso é possível compreender parte da complexidade da ideia de Natureza também por meio da arte. Nesse sentido o presente artigo propõe compreender os <em>games</em> como fontes históricas, e dessa forma, discutir em <em>Red Dead Redemption 2 (2018)</em> os sentidos da relação humano-natureza no século XIX e no tempo presente por meio da análise de discursos, narrativas, ideologias, representações e sobretudo anacronismos. Se apresentando como um jogo de videogame aclamado pela crítica e pelo público e portanto uma rica documentação do tempo presente. Longe de serem janelas para o passado, videogames fontes históricas com marcas de seu fabrico capazes de, por meio do diálogo entre historiador e teoria, apresentar o clima cultural e espírito de uma época, uma vez que seu fabrico está preso em seu tempo. Portanto nossa proposta é discutir e incluir os seres não humanos na historiografia.</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/332 Apresentação 2022-07-07T12:29:39+00:00 Ana Isabel Ribeiro Parente Cortez Reis anaisabel.reis@urca.br <p>Apresentação da edição volume 1, número 2, História Ambiental: problemas e abordagens. </p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/283 Quando mulheres espírito-santenses solicitam terras (1873-1889) 2022-06-03T12:20:52+00:00 Pedro Parga Rodrigues pedropargar@gmail.com Rachel Gomes de Lima chellima@hotmail.com Daiane Estevam Azeredo daianest.az@gmail.com <p class="Standard" style="text-align: justify; text-justify: inter-ideograph; line-height: 150%;">Trata-se de analisar solicitações de terras devolutas de autoria de três mulheres capixabas. Partiremos de documentos existentes nos fundos do Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas. Um terço dos casos encontrados desta província se referiam a pedidos realizados por pessoas do gênero feminino, diferente de outras localidades do Império onde não encontramos nenhuma mulher demandando propriedades. Existia, naquela sociedade, certas desigualdades de gênero e sociais na avaliação das requisições de terras realizadas pelo governo Imperial. As mulheres, de alguns grupos sociais mais do que outras, encontravam obstáculos em suas tentativas de adquirir terras devolutas por compra. Mas, ao mesmo tempo, agiam conscientemente para resguardar seus interesses territoriais.</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/213 História e memória na análise do vulto nacional 2022-05-11T13:02:52+00:00 Marcelino de Carvalho Santana marcelino.carsan@gmail.com <p>O presente artigo traz, como proposta, uma análise da construção do heroísmo sobre a figura de Bernardo Sayão. Partiu-se da hipótese de que a própria narrativa, somada às estruturas, nas quais o personagem esteve inserido, contribui para a edificação de um perfil que rememora os feitos dos grandes vultos do passado. O heroísmo de Sayão emerge de um período assinalado por profundas transformações no interior do Brasil, assinaladas por projetos como a Colônia Agrícola Nacional de Goiás (CANG), a rodovia Belém-Brasília e construção de Brasília, os quais impulsionariam o desenvolvimento da nação. Respaldado pela teoria da História, pela biografia e pela análise documental, de discursos proferidos de divisões políticas e de imprensa, além do cruzamento e comparação de dados, buscou-se destacar detalhes do processo de construção desse heroísmo, a autenticidade de suas ações e dos dados de reconhecimento coletivo que atestam a semelhança de seus feitos com a de outros vultos que o antecederam.</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/105 Letramento histórico digital e abuso da História 2021-12-20T19:17:39+00:00 Linik Sued Carvalho da Mota lscarvalho160@gmail.com <p>O advento das mídias sociais mudou a forma como os estudantes percebem o tempo, a História e a si mesmos. Ficou muito mais fácil obter e produzir informação e conteúdo, se antes os indivíduos, especialmente os historiadores, precisavam lidar com a escassez de fontes e materiais, agora estão diante do excesso de memória. No ensino de História surgem novos desafios, pois a consciência histórica dos discentes é moldada por um mundo cada vez mais informatizado e são acessíveis as mais diversas formas de acesso a determinados conhecimentos históricos, entretanto, muitos destes <em>criadores de conteúdo</em> não são historiadores profissionais, algo que transforma a internet e suas plataformas em espaços propícios para abusos da História. Este artigo procura discutir a importância do letramento histórico-digital como possibilidade de pensar um ensino de História que forneça as ferramentas necessárias, aos estudantes, para identificar usos irresponsáveis ou abusos da História na Internet.</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente http://revistas.urca.br/index.php/SertH/article/view/329 Expediente 2022-07-05T13:55:53+00:00 Darlan de Oliveira Reis Junior darlan.reis@urca.br <p>Expediente da edição volume 1, número 2, julho-dezembro de 2022.&nbsp;</p> 2022-07-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Sertão História - Revista Eletrônica do Núcleo de Estudos em História Social e Ambiente