THE FORM OF THE PARADOX:

GIACOMO LEOPARDI AS AN EARLY GERMAN ROMANTIC THINKER

Autores

Palavras-chave:

Giacomo Leopardi, Primeiro-romantismo alemão, Imaginação

Resumo

Neste artigo objetivamos apreciar a teoria da imaginação desenvolvida por Giacomo Leopardi no Zibaldone di pensieri (2016), lendo-a pelo prisma do pensamento primeiro-romântico alemão. O esforço por pensar a poesia, no Zibaldone, é responsável por fascinantes especulações que, conforme estudos recentes, como os de Dido (2020), Givone (2003), Garcia (2019), sublinham os limites da leitura materialista-niilista como um paradigma hermenêutico, representada sobremodo por Emanuele Severino (2005, 2006). Portanto, elegendo três significativas entradas do Zibaldone di Pensieri, avançamos a hipótese de que o problema da imaginação está estruturalmente conectado com os conceitos de causa final e de Geist. Tal passo exegético leva-nos a ler cada passagem cotejando-as com as noções de Witz e Ironie, desenvolvidas por Friedrich Schlegel (1973), bem como com as especulações de Kant (1974) sobre os juízos determinante e reflexivo. Concluímos que a teoria leopardiana sobre a imaginação, uma das pedras de toque de sua teoria da literatura, pode ser melhor compreendida se lida desde uma perspectiva pós-kantiana e primeiro-romântica, uma tradição com que a teoria literária de Leopardi tem sido raramente comparada.

Biografia do Autor

Gabriel Loureiro Pereira da Mota Ramos, UFPE

é mestrando em Komparatistik und Vergleichende Literatur pela Universität Bonn. Tem experiência na área de Educação. Foi professor no colégio Ideia e atuou por cinco anos como professor no projeto de extensão da Universidade Federal de Pernambuco, Vestibular Cidadão, além de ter atuado durante dois anos em cursos preparatórios para vestibulares e concursos. Foi um dos fundadores do Projeto Aprendizagem Solidária, realizado em parceria com a Escola Estadual de Referência Cícero Dias e com o Diário de Pernambuco. Durante a graduação em Letras na Universidade Federal de Pernambuco, desenvolveu três pesquisas de iniciação científica na área de Linguística e Educação e duas outras pesquisas na área de Literatura Brasileira, uma das quais foi premiada no II Congresso Virtual de Iniciação Científical. Participa do grupo de pesquisa Belvidera, Estudos Oitocentistas, desde 2018. É membro do Núcleo de estudos em Literatura, Subjetividade e Forma, em que participa ativamente nos seminários semanais e na organização anual do Seminário de Literatura, Ficção e Conhecimento.

Downloads

Publicado

2022-06-30